Projetos Temáticos

Função, restrição, experimentação e modelagem na ecologia e evolução

Coordenadores: Nei F. Nunes-Neto e Charbel N. El-Hani (UFBA).

 

Perda de habitat e biodiversidade: Integrando efeitos evolutivos e ecológicos e aproximando a ciência da prática ambiental

Coordenadores: Eduardo Mariano-Neto (UFBA).

 

Serviços de polinização em agroecossistemas

Coordenadores: Blandina F. Viana (UFBA), Danilo Boscolo (USP-Ribeirão Preto) e Fabiana O. da Silva (UFS).

Distúrbios naturais e antrópicos na Baía de Todos os Santos: Estudos teóricos e empíricos aplicados à conservação da biodiversidade marinha (DiNABTS)

Coordenadores: Francisco Carlos R. de Barros Jr. (UFBA)

Os trabalhos realizados pelo PT4 incluíram a produção de vários artigos
científicos em periódicos renomados, além da participação em eventos
nacionais e regionais relacionados à ecologia marinha e aos impactos humanos
na BTS. Entre as publicações, estão estudos que avaliaram (1) os impactos de
contaminantes orgânicos nas funções exercidas pelas assembleias bentônicas;
(2) aspectos relacionados à ecologia do medo usando como modelo diversas
espécies de peixes recifais; (3) o impacto da predação sobre assembleias para a
estrutura de esponjas marinhas (“top-down”), levando em consideração o efeito
da pesca nessa interação; (4) a importância dos marismas como locais de
recrutamento dentro de estuários; (5) os impactos de uma espécie invasora de
coral em processos ecológicos da Baia de Todos os Santos. Esses trabalhos
devem contribuir para a discussão do zoneamento ecológico e econômico do
Estado, especialmente no que envolve a Baía de Todos os Santos. Cabe ressaltar
a participação do PT4 em um grupo de trabalho que trabalhou na proposta
inicial e na criação do Parque Marinho da Barra, uma unidade de conservação
do município de Salvador. Esse parque teve seu decreto assinado e o PT4 possui
assento no conselho gestor.

Determinantes ecológicos de padrões de diversidade atuais e históricos de comunidades biológicas do estuário do rio Paraguaçu

Coordenadores: Eduardo M. da Silva (UFBA).

O PT5 tem desenvolvido estudos na Reserva Extrativista Marinha da Baía do
Iguape (Resex do Iguape) sobre questões ambientais identificadas pelos
pescadores e pelas marisqueiras das comunidades locais. A partir da
identificação de uma “coceira” como questão principal, o PT5 identificou tratarse de uma dermatite de contato irritativa causada pela esponja Amorphinopsis
atlantica, o que permitiu iniciar estudos visando seu controle.

Modelagem ambiental nos biomas Caatinga e Mata Atlântica: Geodiversidade e biodiversidade como estratégias de conservação territorial

Coordenadores: Washington José S. F. Rocha (UEFS).

Em seus estudos empíricos, o PT7 já conseguiu inventariar parte da
biodiversidade local nas agroflorestas de cacau selecionadas para estudo,
incluindo a identificação e mensuração de alguns importantes processos
ecológicos que ocorrem nas plantações sombreadas de cacau, sendo que parte
destes processos já são considerados serviços ambientais, como a fixação do
carbono. Estamos avaliando ainda outros serviços, como controle de pragas e
polinização, buscando compreender a relação entre estes ativos, a produção e a
intensificação da lavoura. Neste caso, pretendemos simular cenários
econômicos nos quais seja viável deixar de intensificar as plantações e manter
ativos ambientais (biodiversidade, carbono). Recentemente incluímos um
bolsista PNPD (cota do Programa de Pós-Graduação em Ecologia e
Conservação da Biodiversidade – UESC) que está analisando a viabilidade da
cultura cacaueira na região dentro de cenários de mudanças climáticas e, junto
com os resultados gerais do projeto, pretendemos analisar de que forma a
manutenção do sistema de cultivo como agroflorestal, em oposição à atual
intensificação, pode contribuir para mitigar os impactos negativos dessas
alterações climáticas para a lavoura. Um dos fatores limitantes para análises
regionais que levam em conta a cacauicultura é a inexistência de mapas que
consigam diferenciar a identificação entre florestas nativas e as agroflorestas de
cacau. Com o apoio dado pelo INCT, o PT7 iniciou uma parceria com o
MapBiomas para realizar o primeiro mapeamento das agroflorestas de cacau da
região sul da Bahia. A inciativa envolve o Parque Tecnológico do Sul da Bahia,
o Centro de Inteligência do Cacau (CIC) e o Ministério Público do Estado da
Bahia, e com este produto abrirá grandes possibilidades para que o governo, o
setor produtivo e a sociedade conheçam e monitorem este uso da terra na
região de maneira continua e pública, já que contará com a atualização diária
dos mapas dentro do arcabouço da plataforma MapBiomas.

Biodiversidade, serviços ecossistêmicos e produtividade em agroflorestas de cacau

Coordenadores: Deborah M. de Faria (UESC).

Missão: Desenvolver pesquisas sobre as relações entre diversidade de espécies, serviços ecossistêmicos e produtividade em sistemas agroflorestais de cacau, considerando gradientes de intensificação do manejo local das plantações e de cobertura florestal na paisagem, que permitam avaliar implicações socioeconômicas e ambientais associadas à intensificação do uso da terra, bem como propor critérios para conciliar produção e conservação ambiental na região cacaueira, com ênfase nas plantações tradicionais no sistema de cabruca.

Projetos Temáticos

A sociobiodiversidade do Litoral Norte Baiano: pesquisa interdisciplinar sobre os saberes e as práticas naturais, a mobilidade, as dinâmicas territoriais e
o desenvolvimento rural sustentável em um bioma de Mata Atlântica

Coordenadores: Lídia M. P. S. Cardel (UFBA)

O PT8 tem feito contribuições acadêmicas em torno de seu tema central, os
estudos sobre a sociobiodiversidade, incluindo 1 artigo em periódico e 7
capítulos de livro. Pode ser destacado o capítulo de livro “The active role of
women in family coffee farming: the case of Piatã and Abaíra, Chapada
Diamantina, Bahia State, Brazil”, da coordenadora do projeto (CARDEL et al.,
2018).

Uso de coprodutos da fruticultura tropical na produção de mamíferos neotropicais como alternativa de uso sustentável por produtores rurais do sul
da Bahia

Coordenadores: Selene S. C. Nogueira e Sérgio Luiz G. NogueiraFilho (UESC).

O PT9 tem contribuído de forma significativa para o conhecimento da biologia
de espécies neotropicais com interesse zootécnico. Este conhecimento envolve
tanto artigos com perfil aplicado, como de pesquisa básica. Destacamos os
seguintes estudos desenvolvidos no âmbito do INCT (1) Effect of different
feeding regimes on cecotrophy behavior and retention of solute and particle
markers in the digestive tract of paca (Cuniculus paca); (2) Direct and indirect
caecotrophy behaviour in paca (Cuniculus paca); (3) Intake and digestion of nontraditional feedstuffs by farmed collared peccary (Mammalia, Tayassuidae); (4)
Capybara meat: An extraordinary resource for food security in South America;
(5) Flexibility in the social behavior of captive female capybaras (Mammalia,
Rodentia); (6) Protein requirements of collared peccary (Pecari tajacu); (7)
Protein requirements of finishing paca (Cuniculus paca). Esses resultados
permitem que possamos orientar produtores rurais na alimentação dos animais
aqui estudados (caititu e paca) de modo a usarem co-produtos de suas
propriedades e descartes da fruticultura. Além, disso nossos resultados
permitem a compreensão do trato digestório desses animais e seu
comportamento social, informações fundamentais para a elaboração de
programas de manejo ex situ. Em conexão com essas contribuições acadêmicas
do PT9, tem sido realizada a educação de novos profissionais, a saber, 3 mestres
e 4 doutores vinculados ao INCT.

Genes, canto e socialidade: Diferentes abordagens no estudo da variação geográfica

Coordenadores: Hilton F. Japyassú e Henrique Batalha-Filho (UFBA)

Os resultados do PT10 têm mostrado que: 1) reconstruções sedimentológicas e
ambientais dos últimos 60 anos baseadas em análises multiproxi de dois
reservatórios mostram que a composição e distribuição da flora da Caatinga
não foram afetadas por episódios interanuais de alternância de seca e anos com
chuvas acima da média; 2) o desenvolvimento da piscicultura e o aumento da
população local ocasionam aumento nas condições anóxicas dos reservatórios;
3) as mudanças na vegetação nos últimos 60 anos foram consequência do
aumento da pressão antrópica; 4) existe relação entre a deposição do pólen
moderno (superfície) e os táxons mais abundantes na região; 5) a maior parte
das áreas em processo de desertificação no estado do Ceará está em nível de
cobertura intermediário; 6) a estrutura e diversidade vegetal dos níveis de
cobertura intermediários e fechado (mais conservado) apresentam alta
similaridade, indicando ainda haver um elevado potencial de regeneração
natural dessas áreas, casa haja políticas públicas que incentivem formas
alternativas de uso da terra, minimizando os impactos atuais; e 7) existe grande
variação nas respostas anatômicas e fisiológicas das espécies da caatinga, o que
potencialmente favorece resistir às flutuações climáticas interanuais. Esses
achados estão sendo relatados em produções acadêmicas do projeto, ao passo
em que se busca que influenciem políticas públicas para a Caatinga.

Genes, canto e socialidade: Diferentes abordagens no estudo da variação geográfica

Coordenadores:

Hilton F. Japyassú e Henrique Batalha-Filho (UFBA).

A produção científica do PT11 gerou resultados com avanços significativos para
as áreas de estudo pertinentes. Diversos artigos relacionados ao tema do
subprojeto foram publicados em periódicos de reconhecido impacto científico.
Além disso, os resultados diretamente ligados aos objetivos centrais do projeto
revelaram que os ruídos urbanos (principalmente aqueles oriundos do tráfego
de veículos) afetam o canto de diferentes espécies aves nos municípios de
Salvador e Ilhéus. As espécies que apresentam aprendizado vocal exibiram
maior ajuste da frequência mínima do canto em resposta ao ruído. O maior
detalhamento dos parâmetros do canto da espécie Coereba flaveola revelou que
seus indivíduos cantam suas canções em frequências mais altas e com um canto
mais simples, quando comparada com áreas rurais onde o ruído urbano é
menor. Por fim, a análise genômica dessa espécie revelou que alguns genes
estão sob seleção nos ambientes urbanos, entre eles genes associados a funções
sinápticas do sistema nervoso. Também foram produzidos dados sobre a
variação geográfica do canto em aves da Caatinga e Mata Atlântica que não
possuem aprendizado vocal, e que revelaram o papel de barreiras históricas
isolando populações com distintas vocalizações, bem como a presença de cantos
com variação geográfica clinal. Finalmente, modelos computacionais
desenvolvidos no projeto indicam que o aprendizado vocal pode ter efeito
oposto ao esperado: a especiação pode ser mais frequente nos grupos de aves
que não aprendem seu canto. Os dados produzidos até o momento têm
implicações importantes no campo da evolução de sinais acústicos em aves.
Diversos 2 alunos de graduação e 6 de pós-graduação (2 de mestrado e 4 de
doutorado) foram formados no âmbito da área científica deste subprojeto.

Integrando plantas e animais para melhor compreendermos a evo-devo e
a evolução da diversidade de organismos multicelulares

Coordenadores: Emílio Lanna (UFBA) e Ana Maria R. de Almeida (California State University, East Bay, EUA);

As pesquisas realizadas pelo PT12 contribuíram, até o momento, para o avanço
do conhecimento sobre a evolução do desenvolvimento dos animais e das
plantas em diversos níveis: das moléculas aos ramos da filogenia. Com relação
às plantas, nossos achados trouxeram importantes contribuições que auxiliam
na compreensão da evolução do controle genético do desenvolvimento de
angiospermas e na evolução do padrão das flores em diferentes linhagens deste
grupo. Para os animais, aspectos tão diversos como a origem e evolução dos
espermatozoides em não-bilatérios, padronização do corpo de invertebrados a
partir de brotamento e a utilização de células-tronco neste processo, assim como
a evolução dos membros em répteis foram investigados nos últimos anos.

Estudos evolutivos de parasitas humanos: biologia de patógenos, filogenia, filogeografia e plasticidade fenotípica

Coordenadores: Leandro M. de Freitas (IMS-UFBA) e Paula Ristow (UFBA).

No âmbito da produção intelectual, o PT13 até o presente contribuiu para
avanços nas áreas do conhecimento das quais se ocupa. Entre os resultados de
tais estudos, o projeto mostrou que (1) O DNA extracelular (DNAe) é um
componente da matriz extracelular dos biofilmes de Leptospira biflexa (saprófita)
e Leptospira interrogans (patogênica); (2) o DNAe possui menor participação no
estágio inicial da formação de biofilme de L. biflexa; (3) a digestão enzimática do
DNAe no biofilme maduro desfaz o fenótipo, sugerindo que o DNAe é um
componente essencial para o biofilme de Leptospira. Tais resultados são fruto de
dois trabalhos de conclusão de curso (um mestrado e um TCC de graduação),
foram apresentados no I Simpósio Regional de Microbiologia (Salvador, 2018) e
no Congresso Ensino, Pesquisa e Extensão – UFBA (Salvador, 2018), e fazem
parte de um manuscrito em preparação. No âmbito das contribuições para a
prática profissional, o PT13 tem contribuição para a formação de novos
profissionais que atuam no domínio interdisciplinar pertinente ao INCT, a
saber, dois alunos de mestrado, com defesa prevista para março de 2020.

Estudos em diferentes escalas em Ecologia e Evolução de
Microrganismos

Coordenadores: Pedro M. Meirelles (UFBA)

O PT14 vem contribuindo com a implementação de nova linha de pesquisa na
UFBA, fazendo sínteses ecológicas em escalas diferentes e gerando dados
inéditos sobre a BTS e, nos próximos meses, sobre a Antártica. Um artigo
relacionando a microbiota simbionte do molusco teredo e seus serviços
ecossistêmicos relacionados à produção de metabólitos secundários e enzimas
digestórias de madeira foi publicado (BRITO et al., 2018). Alguns trabalhos
científicos estão sendo preparados pela equipe do PT14, dentre eles: (1) estudo
sobre a distribuição e importância de diversidade microbiana previamente
negligenciada em escala global; (2) modelagem espacial de serviços
ecossistêmicos das comunidades microbianas de solo em escala global; (3)
modelagem numérica de populações de algas em função de dois vírus; (4) papel
da diversidade microbiana rara e previamente negligenciada em corais; (5)
avaliação sobre redundância funcional das comunidades microbianas de
aquíferos em escala global; (6) possíveis relações simbióticas em contexto
evolutivo de microrganismos de vida livre com genomas extremamente
reduzidos; (7) relação de microbiota com asma através de um estudo de coorte
em Salvador comparando com populações de outros países. O PT14 tem
contribuído para formação de estudantes de graduação e pós-graduação
(mestrado e doutorado).